Mostra de Comédia Física

A mostra integra o projeto Improviso na Consolação, uma criativa ocupação do Teatro Commune, vencedor do Edital Território das Artes do Proac 2017.

De 6 a 11 de junho, vários espetáculos criados a partir da linguagem da comédia física e visual, dirigidos pelo inglês John Mowat, serão apresentados no Teatro Commune, numa mostra inédita de comédia física, às 21h para púbico e horário para alunos de escolas públicas. (ver serviço no final do release)

A mostra abre com Celebração da Realidade, com Isis Madi e Bruno, textos de Eduardo Galeano, no segundo dia Andrea Padilha de Florianópolis/SC, apresenta o solo A Garota da Capa, no terceiro dia Rodrigo Marnet e Tai Stork apresentam The Balcony, uma versão bem divertida de Romeu e Julieta, no sábado e domingo apresentam-se Caco Monteiro, com Godó, o mensageiro do vale, da Bahia e Otelo, versão tragicômica do Coletivo Teatral Commune, na segunda feira (11), Godó volta à cena de manhã e a tarde e à noite acontece uma demonstração técnica de John Mowat, seguida de uma conversa com todos os artistas convidados.

É a primeira vez que acontece em São Paulo uma mostra de comédia física com a apresentação dos espetáculos de John Mowat, que vem fazendo sucesso em toda a Europa.

As apresentações abertas ao público comum têm preços populares e aquelas destinadas às escolas são gratuitas, podendo ser agendado lugar pelos telefones: (11) 34760792 – 97665 2205.

O diretor inglês John Mowat

John é um dos encenadores mais criativos e originais da atualidade. Nasceu em Londres, onde estudou escultura na Royal Academy Schools. Estudou mímica corporal com Ronal Wilson na City Literary Institute e na Escola de Jacques Lecoq.

Sua carreira em Teatro começou em 1980, quando apresentou seu primeiro show solo. Em 1994, foi um dos co-criadores da companhia Oddbodies Theatre, sediada em Londres. Como ator e diretor, com seu estilo de comédia altamente visual, viajou por mais de cinquenta países. Dirigiu cenicamente a Orquestra Sinfônica de Londres e foi parceiro de Nola Rae e Matthew Ridout em vários espetáculos. Dirigiu por 17 anos a Companhia do Chapitô, de Lisboa, Portugal, criando espetáculos memoráveis, como, Édipo Rei, Macbeth, A Tempestade, Romeu e Julieta, Medeia, Tartufo, Jekyll and Hyde, Drákula, O Grande Criador, entre outros. Já foi reconhecido pela mídia internacional como um dos principais mímicos do mundo.

Sinopses das peças:
Mesa de Conversa com John Mowat e os artistas dos espetáculos convidados para a mostra
11 de junho às 21h

TENTATIVA E ERRO – Uma aula espetáculo com John Mowat
11 de junho às 20h

Nesse entretenimento educacional veremos, com a ajuda de alguns voluntários, alguns aspectos visuais da criação e realização do teatro.

1. Improvisação e jogo
2. Desenvolvimento e brincadeira com personagens usando máscaras
3. Explorando cenas e textos

CELEBRAÇÃO DA REALIDADE com textos de Eduardo Galeano
06 de junho (quarta-feira) às 21h e 07 de junho (quinta) às 10h

Em Celebração da Realidade, Isis Madi e Bruno Garcia, sob a direção de John Mowat, trazem à cena contos de “O Livro dos Abraços” de Eduardo Galeano. Através de uma linguagem sintética e bem-humorada cada uma das cenas apresenta o ponto de vista de gente anônima e nos convida a refletir e questionar nossa participação na construção da História. Com um olho no microscópio e outro no telescópio, pois segundo Galeano é nas pequenas coisas que se alimenta a grandeza do universo.

Celebração da Realidade apresenta cenas inspiradas em contos escritos por Eduardo Galeano em “O Livro dos Abraços”. A peça tem direção do cômico e mímico inglês John Mowat, muito conhecido por seu trabalho de mais de 20 anos na Companhia do Chapitô de Portugal, onde criou célebres espetáculos como Édipo, A Tempestade, O Grande Criador, entre outras adaptações cômicas de textos clássicos.

Na mesma linha dos trabalhos do diretor, abusando do sarcasmo e da visualidade, o espetáculo mantém a narrativa dos contos escolhidos que, através de uma linguagem sintética, contam fatos da história universal a partir de pequenos causos da vida cotidiana, assim como obra fonte de inspiração dessa montagem: O Livro dos Abraços. Este trata a memória como coisa viva, sua memória pessoal e a nossa memória coletiva, da América. A montagem parte das expressões de Galeano em busca de uma dramaticidade que transporte seus personagens e situações para contextos inusitados cenicamente. A encenação propõe transformar em ação a escrita, transmutando-a em narrativas ou diálogos, para assim revelar a teatralidade.

Composta por cenas curtas e sintéticas, tal qual o livro que a inspira, a peça busca o equilíbrio entre momentos narrativos e ação dramática. O jogo cênico é totalmente revelado, as transições de personagens e cenas são feitas abertamente, depositando sobre a corporeidade e a palavra a capacidade de transformação da cena.

Com um olho no microscópio e outro no telescópio, as cenas relembram que a história é de todos. Cada passagem nos convida a refletir e questionar sobre nosso protagonismo e pertencimento na construção da História, especialmente neste momento em que se discutem questões relacionadas à cidadania, democracia, liberdade de expressão, religião, entre outros. Relembrar é um meio de vivificação e propagação da nossa memória latino-americana.

O diretor, ator, mímico, escultor e cômico John Mowat, conduz com primor a conexão entre palavra, corpo e espaço, explorando as potencialidades físicas dos intérpretes. Em sua experiência como diretor, em especial da Companhia do Chapitô (Portugal), o modo como trabalha para que corpos e palavras se apropriem uns dos outros, em uma cena sem mais elementos cenográficos do que as paragens do teatro e com figurinos absolutamente cotidianos, evidenciam a enorme capacidade de síntese do diretor. Celebração da Realidade é produzido pela Périplo Produções que realizou este projeto a partir de recursos próprios.

Ficha técnica
Direção e Encenação: John Mowat / Elenco: Isis Madi e Bruno Garcia / Assistência de direção: Bruno Garcia / Trilha Sonora: Paulo Kishimoto / Cenografia: Criss de Paulo / Diretor de Produção: Pedro de Freitas – Périplo Produções / Produtores Associados: Isis Madi, Bruno Garcia e Pedro de Freitas
DURAÇÃO: 65 minutos
Classificação indicativa: Livre
Informações: http://www.periplo.com.br/celebracao.html

A GAROTA DA CAPA
7 de junho (quinta-feira) às 21h e 8 (sexta) de junho às 10h

O espetáculo estreou em agosto de 2011, na cidade de Florianópolis e o diretor inglês John Mowat assina a direção. Tínhamos como ponto de partida, um argumento, falar de fome, mas fome de que? As cenas foram criadas através do processo de improvisação, retratando a fome de forma mais abrangente. No intuito de dar continuidade a pesquisa que a atriz investiga há 23 anos, também se manteve o recurso da não utilização da fala, apenas o gramelo, como meio de valorizar a ação em alguns momentos da cena. Percebem-se algumas pitadas da palhaçaria e a atriz como um espelho da plateia, reflete situações cotidianas, principalmente do universo feminino, provocando no público a reflexão sobre temas que abordam a solidão, frustrações, amor. Pode ser dizer que é um espetáculo inteligente e que transita entre o drama e a comédia. Risos e lágrimas, aplausos… A personagem A Garota da Capa vive no mundo secreto de seus sonhos e desejos, de suas memórias do passado e suas esperanças para o futuro. Essa mulher com fome de viver é cercada por amigos famosos, amada por dezenas de homens, recebe convidados famosos para festas, viaja para lugares exóticos. A mulher que quer ser eternamente jovem. Uma “mulher…”

Sinopse: A Garota da Capa é uma sem fala, sobre uma mulher sozinha em seu apartamento, vivendo a sua vida através de revistas.

THE BALCONY (a partir de Romeu e Julieta)
8 de junho (sexta) às 19h e 8 de junho às 21h

The Balcony é um espetáculo de comédia visual livremente inspirado na obra “Romeu e Julieta” de William Shakespeare. Sob a direção de John Mowat e construída com a colaboração artística de Julio Adrião, a peça subverte o clássico romântico e coloca a sacada de Julieta (Balcony, em inglês) no centro de um universo de imagens físicas criadas pelos atores Rodrigo Marnet e Tai Stork, que aproxima a trama Shakespeariana do público, culminando em uma experiência única realizada pela Cia de Teatro Oásis.

OTELO (versão tragicômica)
9 de junho (sábado) às 21h e 10 de junho (domingo) às 19h 30min

“Otelo”, adaptação de John Mowat da peça de William Shakespeare, é uma abordagem cômica desta grande tragédia, que lida com temas universais e atemporais como o racismo, o amor, os ciúmes, a traição, a vingança e o arrependimento.

A inversão da etnicidade de Desdêmona e Otelo oferece uma nova visão sobre a relação deste casal. Desdemona, uma garota negra, está apaixonada e casa-se secretamente com um jovem general branco do exército veneziano, contra a vontade da mãe dela, Dona Brabancia.

Cinco atores interpretam todos os personagens sendo que um deles não apenas representa um juiz e um cão, mas 52.724 soldados do exército veneziano. Só vendo pra crer.

Otelo, um grande general que não consegue perceber os verdadeiros inimigos no plano pessoal, Desdêmona e sua séria obsessão por contar soldados; Iago, que certamente é o que é, Cássio, com seu interesse peculiar por lenços femininos, Bianca e seu relacionamento íntimo com os soldados do exército veneziano, todos os 52.724; Rodrigo e suas patéticas tentativas para conquistar Desdêmona; Emília que tudo vê e tudo ouve, Dona Brabancia e sua relação secreta com o genro; o exército veneziano, uma destemida força de combate com sua paixão insaciável pela prostituta Bianca, a frota turca e seus Bigodes fantásticos, o governador de Chipre, sempre atrapalhando o caminho, um juiz, sempre preparado para silenciar a corte e um cão fiel e obediente, mas com um temperamento incontrolável.

Sinopse
Otelo, general de Veneza e Desdemona, uma jovem negra, casam-se secretamente, mas ele é acusado pela mãe dela de seduzir a jovem Desdemona usando magia branca. No senado, Otelo é absolvido por ser o único capaz de deter os turcos que ameaçam invadir Veneza. Iago quer vingar-se de Otelo por este ter promovido o jovem Cassio em seu lugar ao posto de tenente Coronel. Após a derrota dos turcos, em Chipre, Iago põe em prática o plano para fazer com que Otelo pense que Cassio e Desdemona são amantes. Primeiro, usando Rodrigo, faz Cássio ficar bêbado e duelar com Rodrigo, levando Otelo a destituir Cássio de seu posto. Rapidamente orienta Cassio a pedir ajuda à Desdemona para restituir o posto, que ela faz com prazer, já que é amiga de Cassio. Depois fala a Otelo sobre um sonho que Desdemona teria tido com Cássio. Em seguida, consegue que sua a criada Emilia rouba um lenço de Desdemona e o “planta” no quarto de Cássio, fazendo com que Otelo saiba disso. Otelo quer matar Desdemona, mas revela que nunca matou ninguém. Iago se dispõe a ajuda-lo e convence Rodrigo a matar Cássio. Rodrigo prepara uma emboscada para Cassio, eles duelam e se ferem mutuamente. Iago mata Rodrigo e diz a Otelo que matara Cassio. Otelo mata Desdemona. Emília, esposa de Iago, revela que Desdemona nunca foi infiel e que o lenço foi roubado por Iago. Iago mata Emília. Otelo, arrependido, se mata. Cássio reaparece ferido, prende Iago e encerra a tragédia.

Ficha técnica
Otelo, baseado na peça de William Shakespeare
Direção Geral e Concepção: John Mowat
Co-direção e Assistente de Criação: Augusto Marin
Elenco: Miriamm Lima, Alan Benatti, Silvia Nicollatto, Paulo Dantas e Augusto Marin
Produção: Kelly Laser

GODÓ, O MENSAGEIRO DO VALE
9 de junho (sábado) às 18h e 10 de junho (domingo) às 17h

Sinopse
Uma ficção inspirada na história que aconteceu no Vale do Paty, entre os anos de1937 a 1985, Chapada Diamanna Bahia, onde viviam 2000 famílias que foram obrigadas a abandonarem suas terras por um decreto do governo militar de Costa e Silva, onde foi proibido o cultivo do café na região dando lugar a uma reserva ecológica.

Hoje no local vivem 8 famílias. Esta ficção se concentrará na história de uma delas, a família de D. Dalzija e seu filho Jaiso, carinhosamente conhecido como Godó devido ao seu gosto pela comida picada região chamada “godó” (purê de banana).

A história é uma narrava de um senhor de 90 anos utilizando flashbacks para contar suas experiências. Godó, quando menino, tinha uma galinha, sua melhor amiga, que se chamava Zenaide e também um amigo invisível chamado Biziu. Um dia Godó estava no fundo da casa quando de repente viu uma revoada de vagalumes no riacho, ele pega um e leva para dar de presente a sua mãe que descobre que este vagalume era na verdade um diamante, esta descoberta poderá mudar totalmente a vida deles.

Nome: Godó, o mensageiro do Vale
Idade: livre
Gênero: Drama
Duração: 50 minutos
Texto e Elenco: Caco Monteiro
Direção: John Mowat
Operador de Luz: Antônio Kika
Produção: Jusele Sá
hps://youtu.be/6EDZOady-uU (espetáculo na íntegra)
Serviço:
Teatro Commune – Rua da Consolação, 1218, Consolação (ao lado do metro Mackenzie-Higienópolis) com estacionamento ao lado.
Fones: (11) 34760792 – 97665 2205
De 6 a 11 de junho
$15,00 meia e atores com DRT – $30,00 inteira
Capacidade até 100 lugares

Quarta 06/6
21h – Celebração da realidade (SP) + bate-papo
Valor do Ingresso: R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 (meia e atores com DRT) R$ 10,00 (antecipado)

Quinta 07/6
10h – Celebração da Realidade (SP) – Gratuito e Para Escolas – mediante lotação.
21h – A Garota da Capa (Flórida)
Valor do Ingresso: R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 (meia e atores com DRT) R$ 10,00 (antecipado)

Sexta 08/6
10h – A Garota da Capa (Flórida) – gratuito para escolas mediante lotação
19h – The Balcony -Romeu e Julieta (RJ) gratuito para escolas mediante lotação
Valor do Ingresso: R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 (meia e atores com DRT) R$ 10,00 (antecipado)
21h – The Balcony – Romeu e Julieta (RJ) – 21 horas ingressos 30 e 15

Sábado 09/6
18h – Godó (BA) gratuito para escolas mediante lotação
21h – Otelo (Commune)
Valor do Ingresso: R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 (meia e atores com DRT) R$ 10,00 (antecipado)

Domingo 10/6
17h – Godó (BA) – gratuito e para escolas mediante lotação
19h30 – Otelo (Commune)
Valor do Ingresso: R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 (meia e atores com DRT) R$ 10,00 (antecipado)

Segunda 11/6
20h – Aula Espetáculo com John Mowat + Mesa de debates com John e os grupos da mostra.
Valor do Ingresso: R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *