Aviso Semanal – 40

semanal

A semana
A semana que passou foi marcada por dois eventos que possibilitaram os mercados seguirem na valorização continuada dos ativos financeiros e de commodities, em especial o petróleo que após a decisão da Opep em congelar parte da produção, seguiu em alta, com seus preços internacionais ultrapassando a barreira dos US$ 50 o barril.
O Deutsche Bank teve uma reversão na forte desvalorização de suas ações após esforços das autoridades na tentativa de resolver os problemas do banco alemão no sentido de evitar danos colaterais a toda economia europeia.
Nos EUA os dados de emprego divulgados na última sexta feira, com menor criação de postos de serviços e leve aumento, de 4,9% para 5%, na taxa de desemprego, trouxeram um breve alívio na forma como o Fed deva conduzir a normalização monetária e a subida da taxa de juros.
Como os mercados estão se movimentando com dados divulgados e falas de autoridades monetárias, nesta semana vendas no varejo americano, dados do comércio da China, divulgação da Ata do FOMC e fala de diretores do Fed irão incrementar mais volatilidade em um mercado já bastante incerto.
No cenário Brasil o governo aposta todas as fichas na aprovação da PEC 241, que limita os gastos públicos. Mesmo não sendo muito combatida por grande parte de economistas e analistas independentes de partidos, a medida deve ser aprovada pela base governamental. É preciso aguardar para ver sua dimensão e os efeitos positivos e negativos para os rumos futuros da economia.

 
Juros
Dentro do que esperávamos os juros futuros na BM&F foram recuando à medida que os índices de inflação mostrando menores ajustes foram sendo divulgados. Para a semana a continuidade da queda irá depender do ajuste fiscal e do comportamento do dólar frente ao real nos próximos dias.
Expectativa para a semana: Estabilidade com possível queda moderada em toda curva

 
Câmbio
A valorização do real frente ao dólar vendo dando sinais claros de esgotamento, em função de fatores e riscos externos e em especial a possíveis benefícios que a recente desvalorização, ao chegar acima de R$ 4, trouxe para o ajuste das contas do setor externo e da balança comercial que podem ficar prejudicados.
Expectativa para a semana: Volatilidade, fechando a semana em R$ 3,20/3,25 por dólar

 
Bolsa de Valores
Impulsionada pela amenização de alguns fatores externos que empurraram o preço das ações em todo o mundo na semana que passou, tendo como carro chefe a valorização dos preços do petróleo e consequente subida nas ações de um dos carros chefes, a Petrobrás, o Ibovespa voltou a subir ultrapassando a marca dos 61.000 pontos.
As expectativas futuras continuam atreladas a fatores externos e aos riscos que hoje representam para o mercado de ações. Daí toda cautela se faz necessária neste momento em que os riscos aumentam à medida que as cotações seguem mais acima.
Expectativa para a semana: 60.000/61.000

 
“Os pequenos atos que se executam são melhores que todos aqueles grandes que se planejam.” George C. Marshall

 
*As opiniões aqui contidas são pessoais e não representam recomendação de compra ou venda de ativos financeiros. Desta forma, os autores estão isentos de quaisquer responsabilidades sobre as decisões de investimentos tomadas por seus leitores.
O Aviso em Dois tem como finalidade a troca de ideias, informações e conhecimentos técnicos com os leitores e participantes do mercado financeiro.

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *