Aviso Semanal – 39

semanal

A semana
Depois de China, Brexit e FED, desta vez é o Deutsche Bank que passa a ser a bola da vez, assombrando os mercados.
Depois de levar uma multa de US$ 14 bilhões do Departamento de Justiça dos EUA, o banco se vê em situação difícil diante de cenário nada favorável para lucros, já que a taxa de juros na Alemanha e na maioria dos centros onde atua estão há bastante tempo negativas e sem expectativa de mudanças no curto prazo. Além das perdas com a multa, especulações de que o banco possa precisar de uma injeção adicional de capital acabaram provocando uma fuga em massa de capital de fundos que operam com o Deutsche.
As ações do banco despencaram na última semana, e só possuem expectativas de correção de curto prazo, até que o problema seja sanado definitivamente.
O Deutsche Bank é só mais um problema para os mercados que ultimamente buscam, em eventos, justificativas para manutenção dos preços dos ativos nas alturas. Novos problemas vão substituindo anteriores, que permanecem sem solução.

 
Juros
Com os índices de inflação se arrefecendo em função da recessão (dentro do esperado), a queda forte do dólar frente ao real, e o alto desemprego, o Banco Central prossegue atuando atrás da curva, mantendo seu discurso.. À medida que os indicadores de inflação vão indicando baixa, o mercado aprofunda a queda futura das taxas.
Expectativa para a semana: Queda em toda curva, em especial nos prazos mais longos.

juros-futuros-bmf-2016-10-03

 

Câmbio
A desvalorização do dólar frente ao real prossegue, mesmo com toda volatilidade externa. Como já comentamos anteriormente, mesmo com a subida dos juros americanos estando cada dia mais próxima, o espaço para valorização do dólar perante outras moedas está limitado.
Expectativa para a semana: Volatilidade, fechando a semana em R$ 3,18/3,23 por dólar

 
Bolsa de Valores
A semana que passou foi de alta volatilidade no Ibovespa, e essa volatilidade, que já perdura por um tempo, veio para ficar. Esta semana não será diferente das anteriores, já que a sensibilidade aos fatores externos e a baixa perspectiva de melhora da economia brasileira no médio prazo permanecem.
As ações da Petrobrás têm sido o “carro chefe” dos movimentos. Muito vinculadas às variações dos preços do petróleo no mercado internacional, neste momento apresentam alta correlação com os preços do barril do petróleo, que seguem voláteis em virtude do panorama de instabilidade das decisões futuras da OPEP.
Expectativa para a semana
Volatilidade, fechando a semana em 58.000 / 59.000 pontos

 
“Ser sábio não é dizer tudo o que sabe. É saber tudo o que diz.” Autor desconhecido

 
*As opiniões aqui contidas são pessoais e não representam recomendação de compra ou venda de ativos financeiros. Desta forma, os autores estão isentos de quaisquer responsabilidades sobre as decisões de investimentos tomadas por seus leitores.
O Aviso em Dois tem como finalidade a troca de ideias, informações e conhecimentos técnicos com os leitores e participantes do mercado financeiro.

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *