Aviso Semanal – 38

semanal

A semana: Como se não houvesse amanhã. Assim foram as reações dos mercados no pós-decisão do Banco Central do Japão, mantendo a taxa de juros negativa em -0,1% e prometendo redefinir seu programa de estímulos visando atingir a meta de inflação anual de 2% e da decisão do FED em adiar, mais uma vez, o aumento da taxa de juros da economia. Como se não houvesse amanhã é como se as economias destes dois principais países e também a economia do restante do mundo, em especial da Europa, estivessem só necessitando dessas duas atitudes para voltarem à normalidade, que não é o caso.
A manutenção por tempo prolongado de juros negativos sem o correspondente crescimento desejado está cada dia mais explicitando riscos e aumentando a probabilidade de uma nova crise.

 

Juros: Por não ser um banco central nos moldes tradicionais que trabalha a frente da curva, o BCB, como sempre, mesmo depois do dólar reduzir sua cotação de R$ 4,20 para R$ 3,20 e de cessarem os grandes ajustes de tarifas, aguardou o IPCA-15 chegar a 0,23% no mês de setembro para emitir sinais que a taxa básica de juros deve cair em breve.
Expectativa para a semana: Queda em toda curva, em especial nos prazos mais longos

 

Câmbio: Mesmo com a chamada normalidade da política econômica pelo FED se aproximando a cada dia a cotação da moeda norte americana frente ao real não tem encontrado tantos argumentos para uma nova retomada de alta. Se por um lado um aumento dos juros nos EUA possa ser motivo de valorização do dólar a forte venda de títulos da dívida norte americana observada nos últimos meses acaba amortizando uma possível valorização, ao menos no curto prazo.
Expectativa para a semana: Volatilidade, fechando a semana em R$ 3,20/3,25 por dólar

 

Bolsa de Valores: Com o mundo financeiro novamente a beira de um ataque de nervos, nosso bolsa de valores fica como se diz no mercado, “mais pendurada” as chacoalhadas globais, do que nunca.
As sinalizações externas são de que a valorização recente nos preços dos ativos de riscos como a renda variável está se esgotando e que o risco de uma forte retração voltou a assombrar as principais praças bursáteis. Assim, qualquer movimento mais brusco na queda, de certo provocará um movimento em maior intensidade por aqui.
Expectativa para a semana: 56.500/57.500

 

“As pessoas tiram da vida exatamente o que investiram nela.” Joy Adason

 

*As opiniões aqui contidas são pessoais e não representam recomendação de compra ou venda de ativos financeiros. Desta forma, os autores estão isentos de quaisquer responsabilidades sobre as decisões de investimentos tomadas por seus leitores.
O Aviso em Dois tem como finalidade a troca de ideias, informações e conhecimentos técnicos com os leitores e participantes do mercado financeiro.

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *