Aviso Semanal – 36

semanal

A semana: A semana que passou, em especial na sexta feira foi marcada por expressiva subida na taxa de juros das principais dívidas e por consequência queda expressiva nas bolsas de valores e valorização do dólar frente às demais moedas.
A coletiva de imprensa, de Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu na quinta feira foi uma ligeira decepção, ao não prometer uma extensão do seu programa de flexibilização quantitativa, que aliada à declaração do presidente do FED Boston sinalizando que os juros americanos podem subir já na próxima reunião do FED do dia 21/09, disparou uma corrida de vendas de títulos de dívida soberana. Lembrando que hoje o estoque mundial destas dívidas tem a cifra de US$ 60 trilhões.
Mais importante que os recentes pronunciamentos de autoridades monetárias e o cenário inexorável que a normalização monetária americana está cada vez mais próxima de ir se concretizando. E que a avaliação do balanço de riscos feita pelos bancos centrais já demonstra grande preocupação com o risco da recente disparada nos preços dos ativos virem a provocar nova crise econômica, semelhante à de 2008.
Fundamental inferir que o tamanho e importância de um FED e BCE pressupõe que existe uma coordenação de políticas nos principais bancos centrais.
A volatilidade nos mercados de risco aumentou significativamente e promete permanecer durante toda essa semana que precede a semana de reunião do FED.
Essa coluna semanal vem alertando para essa normalização iminente por parte do FED: http://avisoemdois.com.br/2016/08/fed-caminha-para-normalizacao/

Juros: A única novidade a ser observada na Ata do Copom, divulgada na semana que passou, foi o fato da palavra, desemprego, aparecer somente uma vez, sugerindo que o BCB só tem um mandato, taxa de juros reais corrente. Assim, as expectativas de redução da taxa básica se projetam mais conservadoras para o futuro, já que perdemos a janela de juros baixíssimos praticadas nas principais economias.
Expectativa para a semana: Subida em toda a curva

Câmbio: A disseminação da volatilidade nos mercados e a seletividade em ativos de riscos acabam criando uma procura natural pela moeda norte americano, a despeito de sua valorização ser uma das responsáveis pelo baixo crescimento da economia americana nos últimos trimestres.
Expectativa para a semana: Alta, fechando a semana em R$ 3,30/3,35 por dólar

Bolsa de Valores: Venho fazendo reiteradas avaliações neste semanal do quanto repre4senta o risco de estar com posições ativas no mercado bursátil neste momento em que a economia americana caminha para a chamada normalização financeira.
A correção recente do Ibovespa foi provocada pela abundância financeira global, fruto dos programas de flexibilização quantitativa e das baixas taxas de juros praticadas pelos principais bancos centrais, um caminho de normalização fatalmente corrigirá grande parte dessa alta provocada pela procura em ativos de risco como bolsa de valores.
Expectativa para a semana: 56.500/57.500

“A viagem real da descoberta não consiste em procurar novas terras, mas em ver com novos olhos” – Marcel Proust (1871-1922), romancista francês autor de “Em Busca do Tempo Perdido”

*As opiniões aqui contidas são pessoais e não representam recomendação de compra ou venda de ativos financeiros. Desta forma, os autores estão isentos de quaisquer responsabilidades sobre as decisões de investimentos tomadas por seus leitores.
O Aviso em Dois tem como finalidade a troca de ideias, informações e conhecimentos técnicos com os leitores e participantes do mercado financeiro.

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *