Projeto Teatro Cidadão

O Amor de Teodora e Jeremias 8BR

Projeto Teatro Cidadão inova ao formar jovens com um Romeu e Julieta brasileiro!

A História do amor da Donzela Teodora e do Valente Jeremias no Sertão de Lampião dias 30 e 31 de julho, sábado e domingo

O Projeto Teatro Cidadão, criado e produzido pela Commune, encerra mais uma etapa, com a apresentação da peça “A História do amor da Donzela Teodora e do Valente Jeremias no Sertão de Lampião”, nos dias 30 e 31 de julho, às 17h no Teatro Commune, em São Paulo.

Formando Jovens Cidadãos
O objetivo é a capacitação profissional de 100 jovens, com idade entre 18 a 29 anos, moradores da comunidade Nova Heliópolis, na cidade de São Paulo, nas áreas artísticas e técnicas do mercado cultural, visando a geração de renda e oportunidade de trabalho, nos seguintes segmentos: Iluminação Cênica e Sonoplastia, Produção Cultural, Cenografia, Adereços e Figurinos e Interpretação, com o patrocínio do Programa Petrobras Socioambiental e parceria com o Sated, Sebrae e Sindpd.

A estratégia de atuação é a produção inclusiva e sustentável alinhada à educação, visando a qualificação profissional dos jovens e seu desenvolvimento humano integral, o exercício da cidadania, protagonismo, trabalho em equipe, autonomia e a sustentabilidade futura, em um dos setores que mais cresce no mundo que é o da cultura e do entretenimento.

O teatro e as máscaras são um excelente instrumento para a desinibição e a vivencia e assunção de papeis sociais que os jovens usarão no convívio pessoal e profissional.

Nesta segunda edição do projeto, no primeiro semestre de 2016, contamos com 25 alunos, com idade entre 18 a 29 anos, com aulas às segundas, quartas e sextas, durante 04 meses, das 14h às 17h, que resultaram na montagem do espetáculo “A História do amor da Donzela Teodora e do Valente Jeremias no Sertão de Lampião”, adaptação livre dos textos de Câmara Cascudo, com direção de Jorge Julião, nos dias 30 e 31 de julho, às 17h no Teatro Commune, em São Paulo.
O Amor de Teodora e Jeremias 30 BR

A equipe, formada por profissionais de varias áreas e com grande experiência no meio teatral e acadêmico, alguns com pós graduação, é composta de: Michelle Gabriel, Augusto Marin, André Lemes, Marcos Thadeus, Jorge Julião, Silvia Luvizotto, Manoel Cabral e Denise Braga.

Histórico
O projeto nasceu em 2005, no Ponto de Cultura da Commune, em parceria com o MinC e a Secretaria de Estado da Cultura, visando um trabalho integrado de formação de jovens aprendizes, através de Oficinas Artísticas e Técnicas, nas quais os jovens não apenas atuam, mas apreendem como se monta um espetáculo, criando figurinos, cenários, máscaras, luz, som, produção, divulgação, bilheteria, maquiagem, contra regragem, entre outras funções teatrais.

Nesses 10 anos formamos 800 jovens de diversas regiões de São Paulo com a montagem de espetáculos, como, A Verdadeira Historia de Adão e Eva (2006) com texto de criação coletiva e direção de Augusto Marin, O Arlecchino, de Dario Fo (2007), também com direção de Augusto Marin, que inaugurou o Teatro Commune e A Comedia da Esposa Muda (2010), um roteiro datado de 1645, de autor anônimo, dirigido por Michelle Gabriel.

Um Romeu e Julieta com alma brasileira!
(Porque Ser-tão…)
O espetáculo conta a história do amor de Teodora e Jeremias, parentes de Lampião e Maria Bonita, que não podem ficar juntos porque suas famílias são rivais e se odeiam. Uma versão cabocla do clássico de W. Shakespeare ou caboca, como preferia Câmara Cascudo – palavra que vem do tupi caa-boc que significa homem da floresta ou kari boca, filho do homem branco.

A peça, criada a partir de personagens e situações dos contos dos livros Vaqueiros e Cantadores e Superstições do Brasil de Câmara Cascudo, mistura, num tom divertido e fantástico, personagens típicos do imaginário nordestino, como, a cigana, os cantadores, as tias carolas e rezadeiras, Lampião e Maria Bonita entediados por estarem no céu e o spritu bom e o spritu ruim que se apresentam como curupira, boitatá e demônio d`agua.

Que prazer em mergulhar no sertão brasileiro e nas lembranças da infância despreocupada e livre. Um Brasil cheio de fatos, versos e causos! Que privilégio colocar em cena a agilidade e o colorido das festas populares, feiras livres, cantadores, superstições, paixões e desencontros amorosos com bravos jovens que vivem no bairro de Heliópolis em São Paulo.

Câmara Cascudo nos põe em contato com uma gente humilde, mas corajosa e cheia de imaginação. Pedimos a proteção de Padre Cicero, do negro, do cangaceiro, dos desafios dos cegos cantadores para nos alumiá em nossa jornada, para desesconder o Brasil dos brasileiros!
Luis da Câmara Cascudo (1898-1986)

Foi historiador, antropólogo, jornalista e advogado, pesquisador das manifestações culturais brasileiras, deixou uma extensa obra, inclusive o Dicionário do Folclore Brasileiro (1952) e Contos tradicionais do Brasil (1946). O Brasil estaria perdido se Cascudo não dedicasse sua vida a recolher, anotar, rabiscar, escrever e imprimir toda nossa tradição oral, ao ponto de quase ser demitido como professor universitário por estudar figuras folclóricas brasileiras como o lobisomem.

Serviço:
Encerramento Projeto Teatro Cidadão
Espetáculo: A História do amor da Donzela Teodora e do Valente Jeremias no Sertão de Lampião
Direção: Jorge Julião (adaptação livre dos contos de Câmara Cascudo)
Dias 30 e 31 de julho (sábado e domingo), ás 17h no Teatro Commune
Rua da Consolação, 1218, Consolação, São Paulo.
Fones: (11) 3476-0792 – 97665-2205 (Marin)
Entrada franca

Site: http://www.commune.com.br/

Redes sociais:
https://www.facebook.com/Teatro-Commune-137282829678803/?fref=ts

Relacionamento com imprensa
Macida Joachim
11-99937-3446 / 3459 2442
macidajoachim@uol.com.br

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *