Aviso Semanal – 23

semanal

A semana: Mais uma semana onde o FED volta à cena de destaque dos mercados, mesmo com uma baixíssima probabilidade de subida na taxa de juros o fato dela existir já é suficiente para que os mercados mantenham as incertezas de semanas anteriores.
Além da reunião do FED esta semana teremos ainda movimentos em outros bancos centrais como o BOJ (Japão), SNB (Suíça) e do Banco da Inglaterra. Agregado a tudo isso a decisão em plebiscito no Reino Unido no dia 23, para decidir a permanência ou não na Zona do Euro. Ultimas pesquisas apontam pela saída com percentual de 55% e 45% para a permanência.
Por aqui a economia brasileira assiste a esses movimentos do mercado global na torcida para que o crescimento global volte a se restabelecer de maneira mais forte e sustentável e não sejamos pegos na contramão, já que não pudemos aproveitar o otimismo dos dois/três últimos anos não será a instabilidade e incerteza nas principais economias que nos ajudara na recuperação.

 
Juros: Como vínhamos alertando a troca de comando no Banco Central do Brasil não sugere maior flexibilidade na política de juros reais altos e sim um maior conservadorismo. O mercado se apercebeu da mudança e passou a trabalhar com projeções de recuo na taxa básica em prazo maior.
Expectativa para a semana: Manutenção nas taxas em prazos mais curtos da curva e subida nos mais longos.

 
Câmbio: O dólar americano ao contrário que o mercado anda sugerindo deve recuar e não aumentar sua cotação perante outras moedas diante das perspectivas de menor crescimento da economia americana e global. Quanto maior sua cotação menor o resultado dos grandes grupos globais, menor desempenho da balança comercial americana e menor crescimento. Se um dos instrumentos de retomada no pós 2008 foi a desvalorização, não será amoeda se valorizando que irá permitir um crescimento mais estável e robusto e um aumento de juros nos EUA.
Expectativa para a semana: Subida seguindo o mercado externo fechando em queda R$ 3,35/3,45 por dólar

 
Bolsa de Valores: Com a recente realização nas bolsas mundo afora era de esperar que o Ibovespa tivesse quedas maiores que as demais. Não bastassem os problemas nas maiores economias a brasileira continua sem medidas concretas que vislumbrem uma retomada no curto prazo. Mesmo com alguns indicadores como balança comercial e déficit externo nos dando maior conforto.
Apesar de toda realização, principalmente nos preços das commodities na ultima semana, a tendência de alta deve ser retomada, em especial a cotação do petróleo. Favorecendo uma recuperação de preços nas ações brasileiras.
Expectativa para a semana: 49.500/50.500

 
“Não há maior riqueza que o conhecimento, nem pobreza que a ignorância.” Ali ibn Abi-Talib

 
*As opiniões aqui contidas são pessoais e não representam recomendação de compra ou venda de ativos financeiros. Desta forma, os autores estão isentos de quaisquer responsabilidades sobre as decisões de investimentos tomadas por seus leitores.
O Aviso em Dois tem como finalidade a troca de ideias, informações e conhecimentos técnicos com os leitores e participantes do mercado financeiro.

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *