Taxa básica de juros pode voltar a subir

Caravaggio_-_The_Incredulity_of_Saint_Thomas

O ministro interino da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciou nesta terça-feira (17) que o novo presidente interino do Banco Central será o economista-chefe e sócio do Itaú Unibanco, Ilan Goldfajn, escolhido para substituir Alexandre Tombini.

Mais importante que seu vasto histórico na carreira como economista é saber o que pensa e como já atuou quando exerceu o cargo de diretor de Política Econômica do BC entre 2000 e 2003. Suas opiniões sobre o papel do BC na economia e no sistema financeiro estão em linha com o pensamento econômico ortodoxo.

Quando diretor do BC, suas atuações eram pautadas por uma estrutura de pesquisa baseada em modelos matemáticos teóricos usados para prever e calcular indicadores econômicos e determinar a taxa de juros.

Como a metodologia para determinação da taxa de juros, dentro do sistema de metas, pelo Copom, era e continua baseada em modelos matemáticos, o importante é observar os resultados. Questões mais técnicas, como a estrutura deste modelo, ficam para outra oportunidade, já que trata-se de um debate muito mais denso.

Juros reais (ex-post) praticados por Ilan Goldfajn no período em que esteve no Banco Central

Ano IPC-A (ano fechado) Selic média (Copom) Juros reais
2000 5,97% 16,38% 9,81%
2001 7,67% 17,63% 9,25%
2002 12,53% 19,60% 6,28%
2003 9,30% 23,08% 12,60%

Os números estão ai. Espero que o momento de forte recessão e desemprego altere o histórico desta ortodoxia praticada com o Banco Central, reduzindo rapidamente a taxa básica de juros. No entanto, minha experiência sugere muita cautela nas expectativas de corte na taxa no curto prazo, não descartando uma possível alta como “choque de credibilidade” da mudança de comando.

Feito São Tomé, é ver pra crer!

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

2 thoughts on “Taxa básica de juros pode voltar a subir

  1. Tem que fazer uma auditoria no IBGE e ver se estão fazendo a medição correta. No cotidiano, pegando alguns itens de forma avulsa, é fácil perceber altas de 30, 40 e até mais de 50% em 24 meses.
    Calote branco do governo petista está ocorrendo, nenhuma aplicação garante o poder de compra da poupança dos trabalhadores.

  2. E tem a questão dos EUA também. Um aumento de juros lá não reflete na economia daqui? Estão há muito tempo com juros baixíssimos e a economia já se alinhou a isso. Descer é fácil, voltar ao normal que é complicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *