Dia de FED

janet-yellen-federal-reserve-fed

Nesta quarta feira às 15hs de Brasília saberemos a decisão mais importante de política econômica do mundo financeiro, não só a taxa de juros como principalmente as perspectivas e percepções de desempenho da economia norte americana por parte de seu Banco Central (FED). Entrevista coletiva de Yellen está programada para as 15h30.

Como toda data de anuncio de política monetária feito pelo FED, o resultado será carregado de expectativas, volatilidade e especulações, mesmo existindo um consenso entre os analistas que a taxa irá permanecer em 0,50% ao ano.

Se o persistente baixo crescimento global, as injeções de recursos feitas por outros importantes Bancos Centrais, o receio da deflação e a volatilidade dos mercados são razões mais que suficientes para a manutenção dos juros, temos por outro lado um forte mercado de trabalho norte americano e um alerta do vice-presidente do FED Stanley Fischer, na semana passada afirmando que os dados econômicos apontam os primeiros sinais de inflação, e, portanto, sugerem uma continuidade da normalização monetária e consequentemente alta nos juros.

Acredito na manutenção, mas não descartaria um efeito surpresa no sentido de avaliar com maior precisão os efeitos que causariam na confiança dos investidores, consumidores e mercados. Fazendo valer um pouco mais sua autoridade e, de certa forma, quebrando um pouco as ansiedades e expectativas potencializadas para as próximas reuniões.

Dentro deste quadro de incertezas criado desde a crise de 2008 e por consequência as taxas de juros baixíssimas praticadas nas principais economias e do outro lado alguns emergentes como o Brasil e Rússia com elevadas taxas, só deixam evidente um fato: as políticas monetárias atuais já não provocam os efeitos esperados pelos seus formuladores.

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *