The Knick

andr-holland-clive-owen-in-the-knick

Uma das boas séries de TV que é superior aos grandes sucessos de bilheteria que tanto faz gosto aos bolsos da indústria de cinema com seus heróis em quadrinhos, terror tudo em milhões de dólares em tecnologia é sem duvida “The Knick”. Já se esperava na primeira temporada uma série de qualidade já que o diretor é Steven Soderbergh.

A história proposta exige uma pesquisa de época profunda já que passa no inicio do século 19 em Nova Iorque e conta a história do hospital fictício Knickerbocker.

Clive Owen faz Dr. John Thackery (parcialmente baseado na figura histórica de William Stewart Halsted), recentemente nomeado o novo chefe do serviço de cirurgia, luta com seu vício em cocaína e ópio e sua ambição por novas descobertas médicas e reconhecimento de seus pares.

the-knick-clive-owen-michael-angarano

E tem também Dr. Algernon Edwards, interpretado por Andre Holland, um cirurgião negro educado em Harvard e treinado na Europa (parcialmente baseado na história de Marshall Taylor), deve batalhar para obter respeito no meio da população de apenas pessoas brancas do hospital, assim como da cidade racista.

Além dos conflitos sociais das classes emergentes que são racistas e eugenistas, ou seja, esterilizam os adolescentes pobres, filho de imigrantes, para que não se reproduzam evitando assim uma nova geração de baderneiros.

A igreja católica retratada é aquela que conhecemos como autoritária. Todo atendimento que faz aos necessitados é uma obrigação e não uma devoção. A igreja vê neles uns vagabundos, uns fracassados.

Outros dramas vão se sucedendo. Uma mulher de família rica se apaixona por um negro, uma freira que faz aborto com compaixão pelas mulheres desvalidas, a corrupção e os jogos de poder.

O mais interessante é sem duvida a medicina retratada sobre aquela época. Conversando com alguns médicos pude perceber que nada ali é ficção. O retratado é realmente a medicina da época e suas pesquisas com seus avanços e erros. É fácil perceber o quanto a medicina serviu aos propósitos do poder isolando sempre os de baixo. O carro a gasolina ainda divide as ruas com charretes puxadas a cavalo. O metrô que começa a ser construído é desacreditado pelos grandes empresários que querem que tudo fique como está assegurando seu poderia financeiro. Uma ameaça já bate as suas portas. A eletricidade que veio substituir os lampiões a gás e coloca em cheque a saúde financeira dos produtores de querosene.

Nada ali é falso, tudo é coerente, os personagens, as relações sociais, o modo de vida, uma Nova Iorque do inicio do século 20.

 

The Knick – trailer
https://www.youtube.com/watch?v=rPnXtttZ5w0

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *