Aviso Semanal – 23

semanal

 

 

 

 

 

 

 

 

A semana: A movimentação dos principais bancos centrais no sentido de impulsionar suas economias continua em destaque nesta semana.
Na semana que passou o Banco do Povo da China além divulgar o crescimento do PIB do terceiro trimestre, 6,9%, informou também que reduziu a taxa de empréstimo bancário de um ano em 0,25%, para 4,35%, Na quarta feira desta semana, o Comitê de Política Monetária Americano, o FOMC, define mais uma vez a taxa de juros e principalmente comunica sua visão sobre o comportamento da economia e suas expectativas futuras, é consenso a manutenção do intervalo da taxa em zero a 0,25%, o mercado de futuros de fundos, os chamados “fed funds” hoje está sinalizando uma probabilidade de 6% de um aumento da taxa em outubro e uma probabilidade de 34,2% de um aumento da taxa em dezembro empurrando a primeira subida das taxas para março de 2016.
Do BCE (Banco Central Europeu) e do BOJ (Banco Central do Japão), é aguardada nova rodada de estímulos para breve.
Como podemos reparar as incertezas e debilidade das principais economias estão movimentando seus bancos centrais no sentido de injetar uma quantidade de recursos adicional as suas economias.
Na quarta feira que passou o Banco Central do Brasil manteve a taxa básica de juros em 14,25% e mudou o tom de seu comunicado ao expressar maior preocupação maior com a queda da atividade que do aumento da inflação.
No resumo de tudo descrito acima a semana deve se mostrar mais otimista nos mercados de juros, câmbio e na bolsa de valores.

Juros: Com a sinalização do Banco Central mostrando maior preocupação com a atividade econômica após a divulgação da taxa básica de juros de 14,25% ele não só reforçou mais uma vez o final do ciclo de altas como também deixou implícito que só depende do congresso aprovar a questão fiscal para dar início a um processo de recuo na taxa básica.
Expectativa para a semana: Diante da nova perspectiva da autoridade monetária os juros irão recuar em toda a curva, em especial nos prazos mais longos.

Câmbio: Com essa nova rodada de estímulos que estão ingressando na economia global a disparada do dólar frente à maioria das moedas, em especial dos países emergentes, deve abrandar bastante. Com o cenário interno um pouco menos perturbado é esperado um bom recuo na cotação da moeda norte americana frente ao real.
Expectativa para a semana: R$ 3,75/3,85 para o fechamento da semana

Bolsa de Valores: A forte desvalorização do real já vem trazendo efeitos, ainda que discretos, a muitos setores da economia que se beneficiam na competitividade, caso da indústria, e principalmente para aqueles que possuem a exportação como maior fonte de receita.
As forças baixistas vez por outra estão sendo surpreendidas, e perdendo a cada dia o amplo predomínio no mercado.
Expectativa para a semana: 49.000/50.000

 

“A falha em se comunicar corretamente abre um vácuo que é ocupado pela maldade, pela desinformação e pela bobagem.” C. Northcote Parkinson

 

*As opiniões aqui contidas são pessoais e não representam recomendação de compra ou venda de ativos financeiros. Desta forma, os autores estão isentos de quaisquer responsabilidades sobre as decisões de investimentos tomadas por seus leitores.
O Aviso em Dois tem como finalidade a troca de ideias, informações e conhecimentos técnicos com os leitores e participantes do mercado financeiro.

About

Economista e Palestrante. CEO do Portal Aviso em Dois e do Projeto Arrisque

View all posts by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *